06/03/12

Matos, estou capaz de me habituar a isto

Para além das casas de banho dos centros comerciais, a blogosfera é o lugar certo para se ser homem, surge um blogue masculino capaz de uma articulação artesanal entre os temas, um toque de glamour requentado ou uma piscadela de olho ao que elas convencionaram designar como sentido de humor e ei-las que se agitam, já viste aquele tipo?, o do blogue novo, é o estilo do não sei quem, não é?, eu vi primeiro, vejam meninas, que esperta que sou, a mim nada me escapa, vi logo que era ele, o tal.

A blogosfera é o sonho de qualquer homem, aqui as proporções bíbilicas de um para sete multiplicam-se e chegamos ao um para trinta, um de nós para trinta delas, cada uma com os seus vernizes, as suas informações metereológicas em tempo real e os vestidos Versace e Mugler, sempre no corpo de outras, que a elas nada lhes assenta em condições, basta chegar aqui e escrever que as coisas são como são e, plim, acende-se-lhes uma luz que lhes liga tudo, se isto for o sexto sentido estamos conversados.

Aqui somos poucos, um para trinta, um regalo para os sentidos, somos poucos, quase nenhuns, é possível haver duzentas  a escrever sobre o fantástico que é mudar a fralda dos bebés, mil a escrever sobre roupas que não lembram a ninguém, vinte mil a informar que hoje choveu, e está tudo bem, são todas iguais mas são todas diferentes, a nós basta-nos citar Kafka a peso, em calhando falar de vinhos que só existem na nossa cabeça e já está, plim, é ele, eu não vos dizia?

18 comentários:

  1. Até nisso vocês têm a vida facilitada...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara Gija, até nisso. Cruel, o mundo, não é?

      Eliminar
    2. Muito cruel...

      Eliminar
  2. Isso foi culpa sua. Como sabe... e propositadamente o fez. Mas já toda a gente percebeu o que é e o que não é.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara Anouc, as coisas são como são. Podendo não ser, lá está...

      Eliminar
  3. *Note to self*

    Kafka+tintol do bom = resmas delas...

    Mas depois o que é que fazia com resmas delas?(já a presunção do bem escrever, viram?)
    Ainda não sou um mártir islâmico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro Troll, a fórmula é essa. No entanto, se colocar um coeficiente multiplicativo no "tintol do bom" a resposta ao que fazer com resmas delas chega automaticamente...

      Eliminar
  4. Anónimo3/06/2012

    Lendário, se precisar de alguma revisão dos textos antes da escrita estou ao seu dispor: "ei-las que que agitam".

    ResponderEliminar
  5. Anónimo, mas é que precisava mesmo. (agradeço-lhe a atenção, já corrigi)

    ResponderEliminar
  6. Eh eh eh eh
    És um brincalhão,I like !!
    Mas também é preciso ter cuidado,a blogo é o alterego de muita gente solitária infeliz e tudo o mais...
    Há que aceitar e respeitar que se isto é uma brincadeira para alguns* para outros é um escape :)

    Mugler Versace (olha que dois): és um ex-perto já com alguma idade :))

    *moi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cara Fábia, escrever só pode ser uma diversão. Pode lá a blogosfera ser lugar de infelizes e solitários?...

      Eliminar
  7. Da maneira que isto anda, qualquer gajo que leia a capa do record e beba vinho de pacote já é suficientemente atraente. :|

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aflito, meu caro, a experiência recente valida a sua leitura dos factos...

      Eliminar
  8. Porra, ando sempre fora dela.
    É ele, quem?

    ResponderEliminar
  9. Anónimo3/09/2012

    Vinhos que só existem na nossa cabeça. Acabei de me lembrar de um comentário que fez num blog femininino, a propósito de uma foto de Florença. Era qualquer coisa como isto: oh, Veneza, que maravilha, e a sua fonte de trevi e as elegantes galerias victor emanuel. O que eu me ri! A blogueira não respondeu de volta. Terá percebido a ironia ou seria também ela uma das que se deslumbra com meia duzia de baboseiras?
    Marta

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo3/09/2012

      Fui procurar o blog, para me rir mais um pouco. Era ao contrário. A blogueira tinha uma foto de Veneza e o Lendário falava de Florença, de romeu e julieta e das galerias victor emanuel....
      Marta

      Eliminar
    2. Cara Marta, lembro-me perfeitamente desse comentário. (não perceberam, é o tipo de público que se deslumbra com coisas que não existem)

      Eliminar
  10. Prefiro ver os homens a ser homens.
    Muito mais interessante do que Kafka ;).

    ResponderEliminar